A Cátedra Poesia e Transcendência reunirá, nos dias 8 e 9 de novembro de 2019, no Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa, mais de vinte académicos [portugueses, espanhóis, brasileiros e argentinos], chamados a refletir sobre esses lugares coabitados pela Teologia e pela Literatura, no contexto do centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen [no mesmo ano em que também se celebra o centenário do nascimento de Jorge de Sena e passam 400 anos sobre a morte de Frei Agostinho da Cruz e 20 anos sobre a morte de Daniel Faria].
Apresentamos aqui os títulos e uma nota biográfica de cada conferencista.


8 nov. | sexta-feira
Auditório das Pós-Graduações [Sala EC 105]


10h00 | Conferência 1: La elocuencia del misterio.
MIGUEL GARCÍA-BARÓ se formó científicamente junto a Juan Miguel Palacios [Universidad Complutense], Gerhard Funke y Walter Nicolai [Universidad de Maguncia, Alemania], y Juan Martín Velasco [Universidad Pontificia de Salamanca]. Doctor en filosofía por la Universidad Complutense de Madrid, ha ejercido como profesor titular en dicha universidad, como profesor invitado en muchas otras de España y América, y ha sido investigador adscrito al Consejo Superior de Investigaciones Científicas. Sus investigaciones y trabajos recorren un amplio arco de temas: teoría del conocimiento, ontología, filosofía de la religión, pensamiento judío, pensamiento de la Antigüedad y la Edad Media, y fenomenología. Junto a la docencia universitaria como catedrático de filosofía en la Universidad Comillas, destaca su faceta de autor, así como la de traductor del griego, alemán, francés e inglés.


11h00 | Painel 1

Comunicação 1.1: O sagrado e o mistério como categorias de análise do religioso na literatura. Os casos de Dalila Pereira da Costa e de Mário Cláudio.
MARTINHO SOARES é licenciado em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesa e doutorado em Poética e Hermenêutica pela Universidade de Coimbra. É investigador do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos; docente na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e na Faculdade de Teologia da UCP [Porto]. Tem-se dedicado ao estudo do pensamento histórico-filosófico de Paul Ricoeur e da sua ligação a autores clássicos, como Tucídides, Platão e Aristóteles, assim como ao estudo de autores portugueses, onde se destacam Padre António Vieia e Mário Cláudio.

Comunicação 1.2: Redenção e deformidade. A poética do estranhamento como discurso teológico da modernidade.
TERESA BARTOLOMEI trabalhou durante muitos anos como publicista e tradutora independente, em Itália, na Alemanha e, desde 1997, em Portugal. É atualmente investigadora integrada do CITER e professora convidada da Faculdade de Teologia [UCP]. Concluiu o doutoramento no Programa em Teoria da Literatura da Universidade de Lisboa [com um trabalho sobre ‘Figuras Líricas da Temporalidade na Poesia de E. Dickinson’] e o Mestrado em Filosofia da Linguagem na Universidade La Sapienza [Roma]. Autora de vários textos — dispersos por blogues, livros e revistas — sobre ética, religião, hermenêutica e literatura; em fevereiro de 2018 publicou ‘Radix Matrix’ [UCE Lisboa], um ensaio sobre eclesialidade e cidadania, ‘São Paulo e a dimensão comunitária da democracia’. Em outubro 2019 sairá ‘Dove abita la luce?’ [Vita e Pensiero, Milano], um percurso em volta de questões do nosso tempo revisitadas à luz da palavra bíblica.


12h00 | Conferência 2: Literatura y hospitalidad. El giro estético-dramático de la teología.
CECILIA AVENATTI DE PALUMBO es Profesora, Licenciada y Doctora en Letras por la Facultad de Filosofía y Letras de la Pontificia Universidad Católica Argentina [UCA]. Desde su graduación, en 1984, se ha dedicado a la enseñanza e investigación en Estética y al diálogo entre Literatura y Teología. Actualmente se desempeña como Profesora Titular Ordinaria de Estética en la Facultad de Filosofía y Letras y en la Facultad de Teología [UCA]. Ha sido Profesora Invitada Extranjera para el dictado de cursos regulares en la Facultad de Humanidades [Universidad de Montevideo, Uruguay] y en el Magister y Doctorado en Letras [PUC Chile]. Desde 1998 dirige el Seminario Interdisciplinario Permanente de Literatura, Estética y Teología en la Facultad de Teología [UCA] y desde 2002 es Investigadora en la Facultad de Filosofía y Letras [UCA]. En el año 2002 organizó en la UCA las Jornadas Diálogos: Literatura, Estética y Teología. Ha sido miembro titular en representación de los profesores adjuntos del Consejo Académico de la Facultad de Teología [UCA] desde 1996 hasta 2010. En el año 2006 participó como miembro fundador de la Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología [ALALITE], de la que ha sido Presidente en dos períodos [2008-2010 y 2014-2016]. Desde 2007 es miembro de la Sociedad Argentina de Teología, de cuya Comisión Directiva ha sido vocal [2010-2013] y Vicepresidente [2013 a 2016]. Desde 2010 hasta 2015 fue miembro del Consejo de Dirección del Centro de Estudios de la Orden de Predicadores [UNSTA].


14h30 | Painel 2

Comunicação 2.1: “Persigo a un colibrí de la hermosura”. Lo sagrado en el espacio poético y el espacio poético como sagrado en Amelia Biagioni.
ANA RODRÍGUEZ FALCÓN [Buenos Aires, 1983] es Profesora y Licenciada en Letras por la Pontificia Universidad Católica Argentina. Se desempeña como profesora asistente en la cátedra de Estética [Letras, UCA]. También es profesora y coordinadora en el nivel de enseñaza media. Sus campos de estudio son la poesía, la hermenéutica literaria, el diálogo interdisciplinario entre literatura y teología, y la estética. Miembro de la Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología [ALALITE] desde 2007, formó parte de su Comisión Directiva durante el período 2008-2010 [vocal] y 2014-2016 [secretaria]. Participa desde 2006 del Seminario Interdisciplinario Permanente de Literatura, Estética y Teología —SIPLET— [UCA]. Ha participado en Congresos en las áreas de Literatura, Teología, Estética, Fenomenología y Hermenéutica en Argentina, Latinoamérica y Europa. Ha colaborado en la edición del libros y revistas, y en la organización de las Jornadas Diálogos: Literatura, Estética y Teología de la UCA desde 2007.

Comunicação 2.2: Alejandra Pizarnik: trazida [também] ao espanto da luz.
MARIANO CAROU [Buenos Aires, 1969]. Docente y investigador argentino. Se dedica al estudio interdisciplinario entre literatura, estética, filosofía, música y teología. Sus preocupaciones giran en torno al rescate de la poesía folclórica argentina y a la ampliación de los marcos epistemológicos para el abordaje de la poesía, en particular del diálogo entre poesía y experiencia de Dios. Publicó numerosos artículos en revistas especializadas, así como capítulos de libros. En 2016 resultó ganador del Premio Heterónimos de Ensayo por su libro ‘Filosofía Gourmet’. Miembro de ALALITE [Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología].

Comunicação 2.3: “Busco el nacer de la luz”. Decir el desierto y la sed en la poética de Hugo Mujica.
SILVIA CAMPANA. Bachiller, Profesora y Licenciada en Filosofía por la Universidad del Norte Santo Tomás de Aquino [UNSTA]. Profesora Adjunta en las Cátedras de Antropología Filosófica y Estética en el Centro de Estudios Filosóficos y Teológicos de la Orden de Predicadores [UNSTA]. Profesora Titular en las Cátedras de Introducción a la Filosofía y de Estética en el Instituto Superior Nuestra Señora de las Nieves. Miembro del Seminario Interdisciplinario Permanente de Literatura y Teología en la Facultad de Teología de la Universidad Católica Argentina [UCA-SIPLET], de la Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología [ALALITE] y del equipo coordinador de Jornadas: Diálogos entre Literatura, Estética y Teología. Ha participado en capítulos de obras colectivas y ha publicado artículos en revistas especializadas. Ha participado en congresos y publicado artículos sobre el “encuentro”, poesía y mística, y otros, abordados en torno al diálogo interdisciplinario.


15h30 | Conferência 3: Razón teológica del arte literario.
PEDRO RODRÍGUEZ PANIZO es Doctor en Teología por la Universidad Gregoriana de Roma. Ha sido Vicedecano de la Facultad de Teología de la Universidad Pontificia Comillas de Madrid, donde enseña Teología Fundamental, Epistemología Teológica y, durante varios cursos, Teología de las artes de ficción [teatro, novela, cine] y Teología de las Religiones y mística comparada. Ha sido profesor invitado de Fenomenología de la Religión en la sección madrileña de la Facultad de Teología de la Universidad Pontificia de Salamanca: el Instituto Superior de Pastoral. Miembro, desde su fundación, de la Sociedad Española de Ciencias de las Religiones, sección en España de la Asociación Internacional de Historia de las Religiones. Dirigió, hasta su desaparición, la colección “Religiones en Diálogo” de la editorial Desclée de Brouwer [Bilbao], que editó diecisiete volúmenes sobre las relaciones del cristianismo con las grandes religiones. Ordenado presbítero de la Diócesis de Madrid el 14 de marzo de 1987, está adscrito a la Parroquia Santa María Madre de Dios de Tres Cantos [Madrid]. Ha escrito numerosos artículos de su especialidad, así como las obras: ‘Hacia una teología del cine’ [Santander, 2001], ‘Disonancia acorde’ [Madrid, 2007], “Teología Fundamental”, de la obra colectiva ‘La lógica de la fe’ [Madrid, 2013], y ‘La herida esencial’ [Madrid, 2013]. Está a punto de entregar a las prensas ‘Rumor de eternidad. En torno a la fe, la razón y el tiempo’, para Sal Terrae. Apasionado naturalista, es miembro de la Sociedad Española de Ornitología. Sus observaciones de los últimos años verán la luz en la obra ‘Consistencia de aire. Elogio de la observación de aves’.


16h30 | Painel 3

Comunicação 3.1: A salvação que habita a palavra. Um diálogo entre teólogos e poetas.
ALEX VILLAS BOAS é o coordenador científico do Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião [CITER] e docente da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa [Lisboa]. Doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, com tese sobre o diálogo entre teologia e literatura. Tese de livre-docência sobre a relação entre linguagem e ética teológica, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós-doutorado em Teologia e Espiritualidade na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, com pesquisa sobre a concepção dos Exercícios Espirituais de Inácio de Loyola, entre Karl Rahner e Hans Urs von Balthasar. Editor chefe da ‘Teoliteraria — Revista de Literatura e Teologia’. Membro da diretoria executiva da SOTER [Sociedade Brasileira de Teologia e Ciências da Religião] e da ALAITE [Associação Latino-Americana de Literatura e Teologia]. É o atual presidente da Seção Nacional da ALALITE Brasil. Membro da ACFAS [Associação Francófona para o Saber do Québec].

Comunicação 3.2: A dimensão metafísica do banal profano. Graham Greene entre a literatura, o cinema e o ensaio.
HENRIQUE MANUEL PEREIRA é professor da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa [Porto]. Doutor em Cultura pela Universidade de Aveiro, é membro do Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes, do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e do Centro de Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro. É membro da direção do Instituto de Estudos de Religião, membro da direção e do Conselho Científico da Cátedra Poesia e Transcendência e de revistas académicas. Coordena o Projeto Revisitar/Descobrir Guerra Junqueiro e o Gabinete de Estudos Cinema, Património e Memória. É autor de vasta bibliografia, de que se destacam os trabalhos sobre Guerra Junqueiro e Cultura Portuguesa, e tem sido distinguido com vários prémios e menções honrosas. É jornalista, argumentista, produtor/realizador [pela New York Film Academy] de curtas e longas-metragens e realizou e apresentou programas radiofónicos [RR, RFM e Antena 2].


9 nov. | sábado
Auditório das Pós-Graduações [Sala EC 105]


09h00 | Conferência 4: O Ano de 1919.
LUÍS ADRIANO CARLOS é professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Publica desde 1982 estudos de crítica, história, semiótica e estética literárias, em Portugal e no estrangeiro. É autor de vários trabalhos sobre Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena. Recebeu o Prémio de Ensaio José Régio em 1989 e o Grande Prémio de Ensaio Literário da Associação Portuguesa de Escritores / Portugal Telecom em 1999. Realizou edições de obras literárias e críticas de autores portugueses, do Padre António Vieira a Óscar Lopes. Organizou as edições fac-simile das revistas literárias de meados do século XX “Cadernos de Poesia” e “Árvore”. Publicou recentemente a magna antologia ‘Os Mais Belos Poemas Portugueses Escolhidos por Vinte e Cinco Poetas’, com o estudo ‘Crítica do Gosto Literário’. Compõe, de vez em quando, obras de poesia, pintura e música.


10h00 | Painel 4

Comunicação 4.1: “De mãos vazias perante a morte”. Sobre o vazio de Deus em Vergílio Ferreira.
PEDRO PEREIRA é licenciado em Filosofia e mestre em Ensino da Filosofia [com tese sobre a relação entre educação, ética ambiental e a redefinição e limites do conceito de humano na amplitude da dimensão tecnológica] pela Universidade de Letras da Universidade do Porto. Frequentou ainda a licenciatura em Teologia na Universidade Católica Portuguesa [Porto]. É, desde 2012, professor de Filosofia no Colégio Luso-Francês. Os seus interesses de investigação centram-se na filosofia política e na dimensão filosófica da literatura portuguesa, incidindo, sobretudo, no âmbito das filosofias existencialistas.

Comunicação 4.2: “As coisas em que penso não existirão muitas vezes”. A associação metonímica como princípio de continuidade em ‘Toda a Terra’, de Ruy Belo.
HÉLDER MOREIRA é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas [variante de Estudos Portugueses e Ingleses] e mestre em Estudos Anglo-Americanos [Poesia Norte-Americana] pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com uma tese sobre Emily Dickinson e Hart Crane. Pela mesma faculdade, completou, ainda, a parte curricular do doutoramento em Literaturas e Culturas Românicas, do qual resultou o projeto de dissertação “Margens do Poético: a Prosa Íntima de Fernando Pessoa e de Emily Dickinson”, e ao qual foi concedido uma bolsa pela FCT. Os seus interesses de investigação centram-se na literatura de expressão inglesa [com especial incidência na poesia dos Estados Unidos], nos estudos americanos, na literatura comparada [principalmente nas relações entre a poesia norte-americana e a escrita de Fernando Pessoa, e entre o simbolismo europeu e a escrita de Emily Dickinson] e na teoria poética.

Comunicação 4.3: “De poderes abrir a vida”. Sobre a casa na poesia de Daniel Faria e de Luiza Neto Jorge.
JORGE TEIXEIRA é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Especializado em Ciências Religiosas pela Universidade Católica Portuguesa [Porto]. Mestre em Estudos Editoriais, pela Universidade de Aveiro, com a dissertação “Renascença Portuguesa: projeto editorial e ideário cívico-cultural”. Os seus interesses de investigação situam-se na história da edição em Portugal, sobretudo do início do século XX até aos nossos dias; no âmbito da literatura, interessa-se pela poesia portuguesa do mesmo arco temporal.


11h20 | Painel 5

Comunicação 5.1: “Silêncio de luz”. Mística musical em Jorge de Sena.
ANA PAIXÃO é doutorada em Literatura Comparada com uma tese intitulada ‘Retórica e técnicas de escrita literárias e musicais em Portugal nos séculos XVII a XIX’ pelas Universidades de Lisboa e de Nice — Sophia Antipolis [em cotutela]. É membro integrado do CESEM [Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical] da Universidade Nova de Lisboa desde 2002 e do CREPAL [Centre de Recherche sur les Pays Lusophones] da Universidade de Paris III. Entre 2005 e 2010, foi professora de francês aplicado ao canto no Conservatório Nacional de Lisboa. Foi Leitora na Universidade Paris III entre 2002 e 2004. Desde 2010 ensina na Universidade Paris 8, dirige a Casa de Portugal – André de Gouveia [Cité Internationale Universitaire de Paris] e é programadora para a Fundação Calouste Gulbenkian – Delegação em França. Em 2013 obteve o grau de “maître de conférence” pelo CNU [Conseil national des Universités] de França. Membro do Conselho científico de ‘Vieira’ – Revista da Sociedade Portuguesa de Retórica e membro do conselho de peritagem da Maison des Sciences de l’Homme para a literatura comparada. Membro do Conselho de aperfeiçoamento da Universidade de Paris Ouest Nanterre, desde 2017.

Comunicação 5.2: “Monoteísmo da razão e do coração, politeísmo da imaginação e da arte”. A mitologia nova em Fernando Pessoa e Sophia de Mello Breyner.
STEFFEN DIX formou-se em Ciência das Religiões [com especialização em fenómenos religiosos na literatura europeia], Filosofia e Filologia Portuguesa, e doutorou-­se na Universidade de Tübingen em Ciência das Religiões. As suas pesquisas incluem o modernismo [e especialmente o modernismo português e sua figura-chave Fernando Pessoa], as revistas modernistas, a secularização e a relação entre religião e modernidade. Foi investigador principal do projeto de investigação “1915 — o ano de Orpheu: o contexto sociocultural do Primeiro Modernismo de Portugal”, financiado pela FCT. Publicou e editou vários livros, capítulos de livros e artigos em revistas internacionais. Está a organizar e supervisionar a edição alemã da obra completa de Fernando Pessoa, publicada pela prestigiada editora S. Fischer. Atualmente, é investigador integrado do Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião da UCP.


12h20 | Evocação da memória de Frei Agostinho da Cruz: Um poeta para o nosso tempo.
RUY VENTURA é ensaísta, investigador e poeta, tem mais de uma dezena de livros de poesia editados. Publicou também vários ensaios sobre poetas portugueses e a sua relação com o divino. Entre os seus livros, destacam-se ‘A Chave de Sebastião da Gama’ [Licorne, 2017] e ‘Sob os Braços da Azinheira — Leituras de Fátima’ [Santuário de Fátima, 2018]. É co-director da ‘Devir — Revista Ibero-Americana de Cultura’. Colabora com o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, o Secretariado Nacional dos Bens Culturais da Igreja e a Diocese de Setúbal, onde é comissário para as comemorações centenárias de Frei Agostinho da Cruz.


Auditório Carvalho Guerra


15h30 | Apresentação do projeto TEOTOPIAS
| José Pedro Angélico e José Rui Teixeira [CPT . UCP Porto]


16h00 | Conferência 5: “E se Deus nos falta?” Inquietações espirituais e formas de relação com Deus na literatura portuguesa contemporânea.
JOSÉ CARLOS SEABRA PEREIRA doutorou-se pelas Universidades de Poitiers e de Coimbra. Professor da Faculdade Letras de Coimbra e da Universidade Católica Portuguesa. Coordenador científico do Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos; membro do Conselho Geral da Universidade de Coimbra; diretor da revista ‘Estudos’ [CADC]; diretor do Secretariado Nacional para a Pastoral da Cultura, etc. Membro do Conselho Executivo da Fundação Inês de Castro, do Conselho de Patronos da Fundação Arpad Szenes | Vieira da Silva, do Conselho Editorial do grupo Babel, etc. Preside aos júris do Prémio Inês de Castro e do Prémio de Poesia António Quadros; tem integrado os júris dos principais prémios literários de Portugal e da CPLP, nomeadamente do Prémio Camões, do Grande Prémio Leya e dos Prémios da Associação Portuguesa de Escritores, do Prémio Vergílio Ferreira, do Prémio Eduardo Lourenço, do Prémio Vasco Graça Moura — Cidadania Cultural, etc. Autor de cerca de quinhentas conferências e palestras, de numerosos ensaios e estudos monográficos, de edições críticas ou para-críticas, de centenas de artigos em revistas especializadas e verbetes em enciclopédias, e de uma vintena de livros.


16h40 | Conferência 6: O espanto da luz e a inocência da carne. A poesia de Sophia de Mello Breyner e de Adélia Prado.
MARIA CLARA BINGEMER possui graduação em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro [1975], mestrado em Teologia pela PUC Rio [1985] e doutorado em Teologia Sistemática pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma [1989]. Atualmente é professora titular no Departamento de Teologia da PUC Rio. Durante dez anos dirigiu o Centro Loyola de Fé e Cultura da mesma Universidade. Durante quatro anos foi avaliadora de programas de pós-graduação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior [CAPES]. Durante seis anos foi decana do Centro de Teologia e Ciências Humanas da PUC Rio. Tem experiência na área da Teologia, com ênfase em Teologia Sistemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Deus, alteridade, mulher, violência e espiritualidade. Tem pesquisado e publicado nos últimos anos sobre o pensamento da filósofa francesa Simone Weil. Atualmente seus estudos e pesquisas vão primordialmente na direção do pensamento e escritos de místicos contemporâneos e da interface entre Teologia e Literatura. Lidera o grupo de pesquisa Religião e Modernidade e participa dos grupos de pesquisa Apophatike [sobre estudos de mística] e do grupo LERTE [de teologia e literatura].


17h40 | Painel 6

Comunicação 6.1: O transcendente, o sagrado e o cristão na obra de Sophia de Mello Breyner.
ARNALDO DE PINHO nasceu em Arouca em 1942. Matriculou-se na Université de Strasbourg entre 1971 e 1976, onde frequentou cursos na área da filosofia, do alemão, da cultura francesa e da teologia, tendo-se doutorado em Ciências Religiosas com uma tese sobre a questão da interpretação na Bíblia e no Dogma. Doutorou-se, mais tarde, em teologia dogmática na Universidad Pontificia de Salamanca, com uma tese sobre o pensamento de D. António Ferreira Gomes. É professor catedrático jubilado da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa. Foi o primeiro director do Centro de Estudos do Pensamento Português, desde a sua criação em 2002. Foi também o primeiro director da Cátedra de Poesia e Transcendência – Sophia de Mello Breyner.

Comunicação 6.2: ‘No tempo dividido’. Mistagogia da temporalidade na poesia de Sophia.
JOSÉ RUI TEIXEIRA é licenciado em Teologia pela Universidade Católica Portuguesa [Porto], mestre em Filosofia e doutor em Literatura pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Diretor da Cátedra Poesia e Transcendência [UCP Porto]. Depois de um primeiro pós-doutoramento desenvolvido na Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da UCP [Braga], desenvolve um segundo projeto no Departamento de Literatura Española e Hispanoamericana da Facultad de Filología da Universidad de Salamanca. Investigador do Centre de Recherches Interdisciplinaires sur les Mondes Ibériques Contemporains [Université Paris-Sorbonne] e do Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião [UCP]. Integra o Instituto de Pensamiento Iberoamericano [Universidad Pontificia de Salamanca], a Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología e a European Society for Catholic Theology. É diretor pedagógico do Colégio Luso-Francês [Porto] e um dos teólogos responsáveis pelo Processo de Beatificação e Canonização da Irmã Lúcia de Jesus [vidente de Fátima]. Para além de inúmeras publicações de natureza académica, em 2019 reuniu a sua poesia em ‘Autópsia’.


18h40 | Apresentação da medalha comemorativa do centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen: “Trazida ao espanto da luz”, da autoria de Avelino Leite.
AVELINO LEITE nasceu em 1953, em Santo Tirso. Licenciou-se em Artes Plásticas, na Escola Superior de Belas Artes do Porto. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, professor de Desenho no ensino secundário e no Curso Superior de Conservação e Restauro da Universidade Portucalense. Tem participado em exposições individuais e coletivas, no país e no estrangeiro. Entre as suas obras destacam-se: o livro ‘Via Crucis’ [em coautoria com o escritor Mário Claudio], o mural cerâmico do hall de entrada do hospital de S. João e a medalha oficial das comemorações do Centenário de Fátima.


19h00 | Recital de poesia
Sofia Lourenço interpretará quatro obras de J. B. Bach.
SOFIA LOURENÇO é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, bacharel do Conservatório de Música do Porto [com classificação máxima em Piano], mestre em Performance na Universität der Künste Berlin; doutorada pela Universidade de Évora. Pianista portuense, editou [com as mais elogiosas críticas de prestigiadas revistas da especialidade] o CD ‘Portuguese Piano Music: Daddi / Viana da Mota’ [Grand Piano]. Discípula de Helena Sá e Costa, Maria Moreira e Fausto Neves, recebeu orientação dos mais prestigiados pianistas e ainda o Diploma de Solista de Piano na Universität der Künste Berlin, na condição de bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. Integra o INET-md [Estudos Históricos e Culturais em Música] e o CITAR [UCP Porto]. Foi coordenadora da linha de Estudos Musicais [2009-2013] no CITAR, onde concluiu em 2016 um pós doutoramento [como bolseira da FCT]. É professora de piano na ESMAE/IPP desde 1991.